UNMDP > Facultad de Humanidades > Publicaciones > Revistas

 

Revista Argentina de Investigación Narrativa - Año de inicio: 2021 - Periodicidad: 2 por año
http://fh.mdp.edu.ar/revistas/index.php/rain - ISSN 2718-7519 (en línea)

Tecendo conversas acerca das tecnologias nos cotidianos escolares - os ‘usos’ do filme ‘sierra burgess

Marcelo Machado, María Cecilia Souza de Castro, Thamy Lobo, Renata Rocha

Resumen


O presente artigo consiste em um ensaio sobre as possibilidades de, a partir do filme “Sierra Burgess – é uma loser” (traduzido), tecermos conversas acerca das múltiplas tecnologias nos cotidianos escolares. Ao verouvirsentirpensar o filme descobrimos as potências de diversos usos dentrofora das redes educativas (Alves, 2012). O filme perpassa os espaçostempos escolares e cria inúmeros conhecimentossignificaçõe. As tecnologias e as redes sociais da internet constituem nossas vivências, ampliando as emoções, as histórias e as relações. Importante salientar, o quanto os artefatos tecnológicos são ‘personagens conceituais’ no filme e ao levarmos isso para os cotidianos escolares podemos estabelecer diversas possibilidades com os estudantes: os perigos, os medos, as virtudes, as consequências e a responsabilidade que é preciso ter. 


Palabras clave


educação; tecnologia; ciberbullying; filmes

Texto completo:

PDF

Referencias


ALVES, N. Redes educativas, fluxos culturais e trabalho docente: o caso do cinema suas imagens e sons. Financiamentos CNPq, FAPERJ e UERJ, 2012-2017. (Projeto de Pesquisa).

BAUMAN, Z. (2001). Modernidade Líquida. Rio de janeiro: Jorge Zahar.

BESSI, V. G. y GRISCI, C. L. Disponivel em: http://www.ihu.unisinos.br/185-noticias/noticias-2016/559679-vivemos-em-dois-mundos-paralelos-e-diferentes-o-on-line-e-o-off-line-entrevista-com-o-sociologo-zygmunt-bauman. Acessado em: 05/11/2018

CERTEAU, M. (2012). A invenção do cotidiano – 1. Artes de fazer. Petrópolis/RJ: Vozes.

DAMASCENO, V. (2015). Personagens conceituais e personagens estéticos em Gilles Deleuze. Revista Trágica: estudos de filosofia da imanência. Rio de Janeiro/RJ: Universidade Federal do Rio de Janeiro/Grupo de Pesquisa Spinoza & Nietzsche: estudos de filosofia da imanência e Programa de Pós-graduação em Filosofia, 3º quadrimestre/2015, Vol. 8 (3): 138-151.

DELEUZE, G. (2007a). Imagem-tempo (Cinema 2). S. Paulo: Brasiliense.

______. (2007b). Francis Bacon – lógica da sensação. Rio de Janeiro: Zahar.

______. (2005). Foucault. Lisboa: Edições 70.

______. (2003). Proust e os signos. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

______. (1985). Cinema- a imagem-movimento (Cinema 1). S. Paulo: Brasiliense.

DELEUZE, G. y GUATTARI, F. (2014). Kafka – por uma literatura menos. Belo Horizonte: Autêntica.

DELEUZE, G. y GUATTARI, F. (1992). Personagens conceituais. In DELEUZE, G. y GUATTARI, F. O que é filosofia? Rio de Janeiro: Ed 34, 1992: 81-109.

FABRIS, E. (2008). Cinema e educação: um caminho metodológico. Educação e Realidade. Porto Alegre/RS: UFRGS/Faculdade de Educação.

GOMES, P. Cenários para a geografia: sobre a espacialidade das imagens e suas significações. In: ROSENDAHL, Zeny.

CORRÊA; R. L. (Orgs). (2008). Espaço e Cultura: pluralidade temática. Rio de Janeiro: EdUERJ.

GUERÓN, R. (2011). Da imagem ao clichê, do clichê a imagem: Deleuze, cinema e pensamentos Rio de Janeiro/RJ: NAU Editoria.

LARROSA, J. (2003). Notas sobre a experiência e o saber da experiência.Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro/RJ: ANPED (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação), jan-abr 2003, (19). Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2017.

MACIEL, B. (2018). Folkcomunicação no panorama da ciência decolonial: cultural populares e cibercultura. p. 97-106. IN: PORTO, Cristiane. Produção e difusão de ciência e cibercultura: narrativas em múltiplos olhares / Cristiane Porto, Kaio Eduardo Oliveira, Flávia Rosa (Organizadores). – Ilhéus, BA: Editus.

MATURANA, H. (2001). Cognição, ciência e vida cotidiana / Humberto Maturana, organização e tradução Cristina Magro, Victor Paredes – Belo Horizonte: Ed. UFMG.

SERPA, A. (2018). Conversas: possibilidades de pesquisas com os cotidiano. In Org. RIBEIRO, Tiago; SOUZA, Rafael de; SAMPAIO, Carmen Sanches. Conversa como metodologia de pesquisa por que não? - Rio de Janeiro: Ayvu, p. 93-118.

Filmes:

Sierra Brugess is a loser (Traduzido: Sierra Burgess – é uma loser) 2018. Direção: Ian Samuels. Produção e distribuição: Netflix.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2021 Revista Argentina de Investigación Narrativa

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.


Revista Argentina de Investigación Narrativa (RAIN)
  • Programa de Doctorado en Investigación Narrativa, Biográfica y Autobiográfica en Educación. Facultad de Humanidades y Artes. Universidad Nacional de Rosario.
  • Grupo de Investigaciones en Educación y Estudios Culturales (GIEEC -CIMED-). Facultad de Humanidades – Universidad Nacional de Mar del Plata.
  • Programa Red de Formación Docente y Narrativas Pedagógicas. Facultad de Filosofía y Letras – Universidad de Buenos Aires

Correo electrónico: revistainvestigacionnarrativa@gmail.com La Dirección no se responsabiliza por las opiniones vertidas en los artículos firmados. 



 
Incluida en: 
Livre (Revistas de livre acesso)
Latino Americana http://latinoamericanarevistas.org/?page_id=220
LatinREV Link
BASE (Bielefeld Academic Search Engine) Link
 Adherida a